UNIFACIMED realiza simulações realísticas da medicina

UNIFACIMED realiza simulações realísticas da medicina

A atividade é feita como ferramenta de ensino durante a pandemia

Por conta da pandemia da Covid-19, as visitas domiciliares à comunidade, que habitualmente eram realizadas pelos acadêmicos de Medicina do UNIFACIMED - Centro Universitário UniFacimed, estão momentaneamente suspensas. Frente a esta impossibilidade, a Instituição, por meio da a Liga Acadêmica de Medicina de Família e Comunidade, promove uma simulação realística, com o objetivo reproduzir cenários teóricos e práticos, substituindo ou amplificando uma experiência real. 

As atividades são desenvolvidas no Laboratório de Habilidades Clínicas. Integrantes da Liga se dispuseram voluntariamente para reproduzir casos clínicos voltados ao cenário da Atenção Básica à Saúde (ABS). Foram elaboradas três histórias, que incluem temas como doenças crônicas não-transmissíveis, religiosidade, saúde mental, gravidez na adolescência, tabagismo e alcoolismo, no intuito de aproximar a experiência da realidade e, dessa forma, preparar os acadêmicos para as situações clínicas comuns na ABS.

“É uma forma de preparar os estudantes de Medicina para eles atenderem à comunidade. Eles conseguem alcançar mais segurança no atendimento com as famílias, mantendo sempre a qualidade. Esse é um tipo de ensino que deve ser adotado regularmente. É um trabalho que traz uma preparação para simular a prática fazendo diversos procedimentos”, explicou a professora do UNIFACIMED, Mariana Kelly Diniz.

As discussões promovidas durante as atividades trouxeram resultados positivos relacionados a situação do paciente, tomada de decisões, comunicação, trabalho em equipe, liderança, gerenciamentos de crises, raciocínio clínico, além do aprendizado de uma ferramenta de ensino. “Foi interessante observar o empenho e interesse dos acadêmicos em geral. Conseguimos ver a evolução de cada um deles, souberam lidar com a questão de fazer a entrevista clínica de forma coerente, trouxeram planos de intervenção bem interessantes para cada um dos casos, o que foi positivo, tanto para nós monitores, como para eles enquanto estudantes”, contou o aluno e membro da liga, Rhélrison Bragança Carneiro.

Os resultados foram tão proveitosos que se avalia a implementação da Simulação Realística mesmo em cenários pós-pandemia, com objetivo de preparar os estudantes e, assim, garantir a segurança dos pacientes e a qualidade do atendimento. Não havendo o intuito de substituir o processo prático com o paciente real, mas de associar diferentes tecnologias em busca de melhores resultados.